Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

*

E dou por mim a imaginar a tua, a nossa vida, se a doença não se tivesse apoderado de ti, de nós. Como seria se não tivéssemos batido de frente com aquele diagnóstico. As lágrimas correram-me pela cara. Estava ali sozinha, e as saudades falaram mais alto. No meio das pessoas. Não estava escondida, mas ninguém me viu. Naquele momento dei por mim a querer um abraço. Fosse de quem fosse. Daqui a pouco fazem duas mãos cheias. Duas mãos cheias de anos que vivemos com a saudade e a ausência.

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D