Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A girl's life

Filipa ♦ Algarve ♦ 23 anos ♦ Estuda de Turismo ♦ Apaixonada por filmes, séries e livros

23.05.16

"Nas horas em que a tua sombra for maior que o teu corpo"

Filipa Iria
Hoje tive consulta médica após dez meses do meu "pequeno" acidente. O médico foi curto e grosso (mil vezes assim do que ficar meia hora a falar da vida dele). A minha pele está mais fina e com menos gordura de um lado do rosto do que do outro, o que é completamente normal. Uma vez que a minha pessoa mora no spot do calor - o Algarve, claro que os alertas iam ser muitos. Três factores chaves: Sempre tive a pele muito branquinha (muito mesmo). Sofri uma queimadura. Vivo numa região (...)
15.02.16

Transtorno de stress pós-traumático

Filipa Iria
Provavelmente já ouviram este conceito várias vezes, assim como eu já o tinha ouvido múltiplas vezes, mas nunca tinha pensado realmente do que se tratava ao certo. Sabia que era algo que a pessoa sentia após passar por uma situação traumática e apenas isso. Mas, há uns meses atrás, algo me levou a pesquisar sobre isto, a descobrir os sintomas desde transtorno. Porque eu não me sentia bem em algumas situações e pensei para os meus botões "eu fui vitima de uma situação (...)
31.01.16

A minha recuperação

Filipa Iria
Já uso base, máscara de pestanas, sombras e batom. É verdade. Felizmente está tudo a voltar à normalidade nesse aspecto. Uma vez que a minha base tem também factor de protecção e é para peles sensíveis e hipoalergénicas a médica disse que poderia experimentar usar para ver a reacção na minha pele e graças a deus não fez reacção alérgica. É claro que uma vez que a pele ainda está muito sensível muitas das vezes o tom vermelho que ela adquire quando lhe toco (a por (...)
19.11.15

Quatro meses depois

Filipa Iria
Tenho várias fotografias no meu telemóvel. As vezes penso em apaga-las, mas depois.. Depois penso que posso querer vê-las mais uma vez. Dão-me força. São fotografias de uma recuperação. Fotografias que não são bonitas, mas que contam uma história. Uma história de coragem. A minha história. Uma história que ficará marcada para sempre através da cor do lado esquerdo da minha cara. Da cor mais clara. Não há problema. Não tenho vergonha. Eu consegui. Eu ganhei esta luta. (...)
06.08.15

A gelatina e o colágeno

Filipa Iria
Gelatina. Sim, é isso. gelatina, o doce que existe em todas as festas de aniversário. E o único que posso e devo comer agora. Porquê, perguntam vocês. A gelatina é extraída do colágeno.  Para quem não sabe o que é, o colágeno é a proteína que é responsável pela estrutura e formação de fibras que sustentam a pele, assim como a sua elasticidade e hidratação. Daí ser essencial na minha alimentação agora. Ponto positivo: É fresca Ponto negativo: Após comer 9999 vezes (...)
05.08.15

É o que temos no Hospital de Faro

Filipa Iria
Ando muito calma, apesar de tudo. Mas depois chegam-me estas noticias em que o presidente do Conselho de Administração do CHA diz "O Hospital tem camas para todas as pessoas, e se não houver, são transferidas para Lisboa". Ler isto, depois de me dizerem "Nós queríamos e era muito melhor fazermos um acompanhamento de perto mas neste momento não temos vagas". É o que temos. A noticia aqui: Doente oncológico entra em paragem cardíaca dois dias após ter sido dispensado do Hospital de Faro (...)
30.07.15

Calor

Filipa Iria
Lembram-se de eu ter dito que era bom morar no Algarve, estar um calor dos diabos, ter imensas praias à disposição e ter de ir estagiar? Retiro o que disse. É bom morar no Algarve, estar um calor dos diabos, ter imensas praias à disposição, não ter de ir estagiar, mas, não poder apanhar sol. Ah, que bom que é morar no Algarve. O meu verão acabou, a praia tem isto mesmo. Um risco muito grande em cima. Recuperar, em primeiro. Step by step. (...)
25.07.15

Para lembrar que "estas coisas não acontecem só aos outros"

Filipa Iria
Nos jornais, nos telejornais, na internet. Em todo o lado encontramos, diariamente, noticias que nos apertam o coração. Mas, sabe-se lá porquê, na nossa cabeça, as coisas que lemos nunca nos aconteceram a nós. Dizemos nós, para descanso da nossa consciência. Porque normalmente estamos do outro lado, a ouvir, a ler, a receber a noticia. Desta vez, aconteceu. Uma queimadura de 2ºgrau apoderou-se do meu rosto. Não sei explicar a sensação, ou melhor, a aflição. Água a ferver. Nun (...)